Crenças limitantes:

Somos geridos por “regras” internas que muitas vezes estão inconscientes. Não temos tido acesso a estas regras e, portanto, não temos controle aos resultados que a aplicação destas regras causam em nossa vida.

Por que eu penso o que eu penso? Por que eu faço o que eu faço? Estas são perguntas que poucas pessoas se fazem, mas que geram uma série de insights importantes para o gerenciamento dos resultados que queremos.

Entender o modo como eu decido, ou não, limitar a minha existência tem esta consciência como ponto de partida.

Conectividade humana:

Nossa vida em sociedade exige continuamente o estabelecimento de interações entre os seres humanos.

Não fomos ensinados a nos relacionar como nossos semelhantes, e muito menos a criar uma conexão com o próximo, o que impacta, diretamente, a qualidade destas relações e, consequentemente, a qualidade de nossa vida.

Cada um de nós é um mundo muito próprio e particular, que deve ter a autoconsciência de seu modo de operar no mundo para, então, relacionar-se com o outro e seu mundo, em todas as relações. A conexão entre os seres humanos, em toda e qualquer relação, é fundamental para o estabelecimento de uma vida com propósito.

Prosperidade

A Prosperidade, muitas vezes, é apenas identificada com a obtenção de riqueza material.

A Prosperidade, na verdade, engloba várias áreas de nossas vidas e a atenção que dedicamos a estas áreas tem a ver com nossos valores, nossos propósito e nosso gerenciamento de tempo, aliados à ação que deve ser efetivamente realizada, em direção ao estabelecimento de nossos objetivos.

A Prosperidade implica em consciência da situação atual, estabelecimento de objetivos e criação de caminhos e oportunidades a serem percorridos.